A história de uma medicação heróica!!!

A história de uma medicação heróica!!!

Para relaxar um pouco e tentar mesclar conhecimento e distração vamos conversar um pouco sobre o trastuzumab. A história dessa droga, cujo nome comercial é Herceptin, já foi tema de um filme: Uma Chance para Viver (clique aqui). Vamos contar por que esse medicamento foi tão importante para o tratamento do câncer de mama.

Para começar, vale a pena dizer que existem vários tipos de câncer de mama, alguns mais agressivos, outros menos. A definição de qual é o tipo de câncer de mama que acomete a paciente é dada na maior parte dos casos por um exame chamado imunohistoquímica (é um tipo de exame realizado utilizando o material retirado pela biopsia/cirurgia).

Em cerca de 20% das pacientes com câncer de mama, as células tumorais apresentam uma quantidade aumentada de uma proteína chamada HER2. Os tumores com essa característica são sabidamente mais agressivos. As pacientes com esse tipo de tumor tinham um prognóstico pior. Eu disse tinham pois, graças aos esforços de um oncologista americano, o Dr Dennis Joseph Slamon, hoje em dia isso não é mais uma verdade.

Por cerca de 12 anos o Dr. Slamon trabalhou no desenvolvimento de uma droga que bloqueia a proteína Her 2, essa droga é o Herceptin. Vale a pena ver o filme!!! O Herceptin teve um grande impacto na história do tratamento do câncer de mama e podemos dizer que é o responsável pela cura de muitas mulheres.

Devido seu mecanismo de ação, o Herceptin somente tem utilidade naquelas mulheres cujo câncer de mama super expressa a proteína HER2. É uma droga que não possui os efeitos comuns de uma quimioterapia como por exemplo a queda de cabelo e vômitos importantes. Seu efeito colateral mais temido é a redução da força do coração ( por isso a paciente deve realizar exames periódicos de ecocardiograma).No nosso país ele é administrado por via endovenosa ( a duração da aplicação varia de 30 a 90 minutos).

Autor

Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235

Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho, da Clínica Oncocentro BH, da Urológica e do IPSEMG. Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

Comments (4)

  1. Maria Léia Pereira Macedo - Responder

    Primeiramente quero agradecer á DEUS, e segundo ao Dr. Volney, pois ele
    está me receitou essa medicação de 21 dias e estou passando muito bem.
    Quero agradecer á dedicação desse médico Dr. Volney, que ele tem com todos os seu pacientes, e a todos da equipe de oncologia do Felicio Rocho, pois são todos muito atenciosos e carinhosos conosco. Muito Obrigada! Que DEUS abençoe á todos!
    Paciente: Maria Léia Pereira Macedo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *