Apalutamida: nova droga contra o câncer de próstata.

Apalutamida: nova droga contra o câncer de próstata.

Em fevereiro 2018 uma nova droga foi aprovada pelo FDA para tratamento do câncer de próstata. Nesse post vamos conversar sobre a Apalutamida, um potente inibidor do receptor de androgênico. A Apalutamida foi aprovada para o tratamento do câncer de próstata não metastático resistente  à castração. É mais uma arma no tratamento de uma doença que afeta milhares de pessoas no mundo todo. Vamos explicar como isso pode modificar a vida dos pacientes.

O câncer de próstata pode ser dividido em várias fases:

– Câncer de próstata localizado

– Recidiva bioquímica

– Câncer não metastático resistente à castração

– Doença metastática sensível à castração.

– Doença metastática resistente à castração.

Normalmente o paciente é diagnosticado em em uma das fases da doença. Porém, durante sua evolução, ele pode passar por várias etapas da doença. Em cada fase existem opções de tratamentos e condutas médicas adequadas para aquela situação.

O câncer de próstata não metastático resistente à castração pode ser assim exemplificado: Um homem é submetido à cirurgia para tratamento de um câncer de próstata localizado. Após a cirurgia ocorre elevação do PSA na ausência de tumores visíveis ( recidiva bioquímica). Ele é tratado com radioterapia e hormonioterapia, Após 01 ano passa a ocorrer elevação  progressiva do PSA apesar do tratamento hormonal empregado. Exames de imagem não evidenciam metástases a distância. É essa a situação definida como Câncer de próstata não metastático resistente à castração. Foi aqui que a Apalutamida foi aprovada!

A aprovação da Apalutamida ocorreu após a apresentação do estudo Spartan no congresso da ASCO GU desse ano. Nesse estudo 1207 pacientes foram randomizados para receberem apalutamida versus placebo. Aqueles tratados com a droga nova demoraram mais para desenvolver metástase da doença: 40,5 meses versus 16,2 meses. Os principais efeitos colaterias da apalutamida foram manchas na pele, hipotireoidismo e fraturas.

A apalutamida ainda não foi aprovada para uso em nosso país. Isso não deve demorar muito para acontecer. O acréscimo de novas drogas ao arsenal já existente é uma das formas de se aumentar o tempo  de vida dos pacientes e retardar o aparecimento de sintomas desagradáveis. A apalutamida está sendo testada também em outras fases da doença.

Autor

Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235
Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho e da clinica Oncocentro BH
Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

Ref

https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1715546

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *