Câncer de próstata: enzalutamida versus bicalutamida

Câncer de próstata: enzalutamida versus bicalutamida

O tratamento do câncer de próstata evoluiu muito nos últimos 7 anos. Atualmente os pacientes com câncer metastático vivem mais e vivem melhor. Duas drogas foram particularmente importantes: a abiraterona e a enzalutamida. Hoje vamos conversar sobre a enzalutamida. Falaremos sobre o estudo Terrain, publicado na revista Lancet oncol em 2016. Esse estudo comparou a enzalutamida, uma droga nova, com a bicalutamida, uma medicação mais antiga. 

A enzalutamida foi aprovada no Brasil para tratamento do câncer de próstata metastático resistente à castração. Traduzindo: é uma fase do câncer de próstata onde já existem metástase e ocorre progressão da doença mesmo havendo baixos níveis de testosterona.

A medicação é administrada através de comprimidos, por via oral. Ela age inibindo o receptor de androgênio. Isso é importante pois no câncer de próstata o hormônio masculino testosterona estimula o crescimento do tumor se ligando ao receptor de androgênio. A enzalutamida bloqueia o receptor de forma mais potente do que a bicalutamida.

No estudo Terrain os pesquisadores avaliaram 375 pacientes, todos com câncer de próstata metastático ja resistentes à castração. Para serem incluídos no estudo os pacientes teriam de estar assintomáticos ou com poucos sintomas da doença. O principal objetivo era medir a sobrevida livre de progressão, ou seja por quanto tempo a medicação consegue controlar a doença sem que ela piore.

O resultado do estudo reflete a melhora no tratamento do câncer de próstata que mencionamos no inicio do post. Os pacientes tratados com a enzalutamida tiveram sobrevida livre de progressão de 15,7 meses enquanto que a dos tratados com bicalutamida foi de 5,8 meses.

A enzalutamida é uma medicação bem tolerada. Os seus principais efeitos colaterais são: fatiga, ondas de calor e hipertensão arterial.

Essas novas drogas vem sendo estudadas em fases mais precoces do câncer de próstata e ainda esse ano teremos novos dados apresentados em junho.

Referência:

http://www.thelancet.com/journals/lanonc/article/PIIS1470-2045(15)00518-5/abstract

 

Autor:

Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235
Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho e da clinica Oncocentro BH
Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

 

 

 

Comments (1)

  1. TENHO 66 ANOS E TENHO CANCER DE PRÓSTATA A 10 ANOS GOSTARIA DE SABER COMO VOCES PODEM ME AJUDAR ALIVIAR OU POSSIVELMENTE CURAR ESTE MAL OU SE POSSIVEL ADQUIRIR ESTE MEDICAMENTO CASO ESTEJA DISPONÍVEL NO MERCADO…O ENZALUTAMINA…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *