Intestino

Aspirina em pacientes com câncer do aparelho digestivo

Aspirina em pacientes com câncer do aparelho digestivo

 

A aspirina é uma medicação barata, acessível e com  efeitos colaterais bem conhecidos. Além disso, ela protege contra doenças do coração, Alzheimer e câncer de intestino. Não precisava de mais, porém um estudo realizado na Holanda e publicado em congresso europeu de cancerologia ( ESMO – sigla em inglês ) no mês de setembro mostrou que a aspirina aumentou o tempo de vida em pacientes com câncer do aparelho digestivo.

Leia Mais

Câncer de intestino: novos tratamentos

Câncer de intestino: novos tratamentos

O tratamento quimioterápico do câncer de intestino normalmente ocorre em duas situações diferentes:

1)     Quando acontece metástase a distância, ou seja o tumor espalha para outros órgãos.

2)     Após a retirada do tumor do intestino, quando a quimioterapia é administrada em alguns casos e aqui com a intenção de diminuir a chance da doença voltar.

Leia Mais

Exame de Sangue Oculto e Câncer do Intestino

Exame de Sangue Oculto e Câncer do Intestino

O câncer ou carcinoma colorretal (CCR) ou de intestino grosso é um importante problema de saúde pública nos países ocidentais. É o terceiro câncer mais comum e a terceira causa de morte por tumor no mundo, sendo que um em cada três pacientes não sobreviverá à doença. No Brasil ocorrem cerca de 30 mil novos casos da doença por ano, sendo que na região Sudeste é a segundo tipo de tumor mais letal em mulheres e o terceiro em homens.

Leia Mais

Câncer de intestino grosso: Fatores de Risco

Câncer de intestino grosso: Fatores de Risco

O câncer intestino é uma das doenças neoplásicas malignas mais comuns em todo o mundo. É a quarta neoplasia mais frequentemente diagnosticada em ambos os sexos e a terceira causa mais comum de morte por ano no mundo (aproximadamente 630.000 casos ).

Devido a sua grande incidência e mortalidade, a prevenção dessa doença é de extrema importância. Uma das maneiras mais baratas e eficazes de prevenir o aparecimento dessa doença é evitar a exposição dos indivíduos aos fatores que predispõe o câncer colorretal. Vários estudos tem sido realizados com o objetivo de se encontrar os principais fatores de risco para essa doença.  Dentre eles, destacam-se:

Leia Mais

A Colonoscopia e a Prevenção do Câncer Colorretal.

Os tumores colorretais, em sua maioria, surgem a partir de uma única célula da mucosa colônica ou do reto que sofre e acumula mutações progressivamente adquirindo assim uma vantagem de crescimento sobre seus pares. Crescendo mais rapidamente elas vão dar origem a um acúmulo anormal de células que se multiplicam de forma desordenada e amontoada formando nodulações na mucosa do cólon chamados de pólipos adenomatosos.  As células desses pólipos continuam sofrendo e acumulando mutações cada vez mais rapidamente até se transformarem em um câncer propriamente dito com capacidade de invasão de tecidos adjacentes e de metastatização para órgãos à distância.

Leia Mais