Outros Tumores

Julho Verde: 27/07, Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço

Julho Verde: 27/07, Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço

No ano de 2014 em um congresso mundial, a Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço tornou 27 de julho o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço. A tentativa é alertar e conscientizar a população sobre os principais fatores de risco relacionados à doença e importância do diagnóstico precoce.

O câncer de cabeça e pescoço é uma doença presente em vários países do mundo e estima-se que ocorram anualmente cerca de 500 mil novos casos. Nos Estados Unidos e Europa os tumores malignos de cabeça e pescoço correspondem a 3% e 4% de todos os cânceres, respectivamente. Dados do Instituto Nacional de Câncer revelam que no Brasil, no ano de 2016, serão 22.840 novos pacientes com câncer de boca e de laringe.

Leia Mais

Linfomas: entendendo a doença

Linfomas: entendendo a doença

O sistema imunológico humano, também chamado de sistema imune, é o responsável pela defesa do organismo contra agentes infecciosos e toxinas. É formado por diferentes órgãos e tecidos, e pelos leucócitos, conhecidos como glóbulos brancos. Essas células são produzidas na medula óssea e timo (órgãos imunológicos primários) e amadurecem nos linfonodos, tonsilas e baço (órgãos imunológicos secundários).

Leia Mais

Icterícia e o câncer: quando o paciente fica amarelo

Icterícia e o câncer: quando o paciente fica amarelo

A icterícia, aquele amarelo da pele e do branco do olho que também pode ocorrer em recém-nascidos, também pode acontecer em pacientes com câncer. A icterícia ocorre quando o organismo não consegue eliminar um pigmento produzido pelo fígado chamado bilirrubina. Como a icterícia é um dos sintomas do câncer e nem sempre é reconhecida precocemente, vamos hoje focar nesse assunto

As causas da icterícia são dividas de acordo com o ponto da “engrenagem” de eliminação que não está funcionando e temos o fígado como referência:

Causas antes do fígado: em geral o problema é a produção muito elevada de bilirrubina e o fígado no caso sadio não consegue eliminar toda a produção.

Causas no fígado: neste caso o problema é dano de célula do fígado. Presença de câncer no fígado é uma das causas, independente se a origem do câncer é no fígado ou em outro órgão. Os cânceres que mais causam icterícia são o hepatocarcinoma (câncer que começa no fígado), o câncer de pâncreas e o câncer de intestino. Outros motivos são abuso de bebida alcoólica, hepatite e alguns medicamentos, inclusive quimioterapia.

Causas depois do fígado: o problema é no transporte da bilirrubina produzida no fígado para fora do organismo. Como ela fica represada no fígado o excesso cai na corrente sanguínea vai se depositar na pele e no braço do olho.

Outros sintomas associados com a icterícia são urina escura, cor de Coca-Cola, fezes claras podendo ser até esbranquiçadas e coceira pelo corpo. Alguns sintomas como dor abdominal, vômitos ou aumento do abdome podem estar presentes e variam de acordo com a causa da icterícia. Em casos avançados, quando o fígado para de funcionar, podem existir sintomas como confusão e até coma.

O tratamento varia com a causa da icterícia. Falando especificamente das causadas pelo câncer, a quimioterapia pode ser uma opção de tratamento. Se a causa for uma obstrução do trajeto, uma desobstrução cirúrgica é o mais indicado. Neste caso pode ser criado um novo trajeto que drena a bilirrubina para fora do corpo ou respeitar o trajeto do corpo colocando um pequeno tubo de plástico ou de metal que transpassa a obstrução.

Bibliografia:

www.jamanetwork.com

Autores:

Dra Maria Helena Cruz Rangel Da Silva
CRM mg 49563 RQE 28713
Médica Oncologista Clínica

Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235
Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho, da clinica Oncocentro BH e do IPSEMG
Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

Leia Mais

Câncer de bexiga: principais sintomas

Câncer de bexiga: principais sintomas

São estimados cerca de 10.000 novos casos de câncer de bexiga esse ano no Brasil. O tipo de câncer de bexiga mais comumente diagnosticado no nosso país é o câncer de células transicionais, também chamado de tumor urotelial. O câncer urotelial também pode acometer outras regiões do aparelho urinário como a uretra, o ureter e a pelve renal. Recentes avanços vem sendo reportados no tratamento do câncer de bexiga. O diagnóstico tardio contribui para uma pior evolução. Hoje vamos falar sobre seus principais sintomas na intenção de contribuir para o diagnóstico mais precoce da doença.

Leia Mais

Queimadura solar e Melanoma: novo estudo sobre essa associação.

Queimadura solar e Melanoma: novo estudo sobre essa associação.

O melanoma é o câncer de pele com maior potencial letal. Sua incidência vem aumentando no mundo nas últimas décadas. A exposição à radiação ultravioleta é sabidamente um fator de risco para o melanoma e também para os tipos mais comuns de câncer de pele: o carcinoma baso celular e o carcinoma escamocelular. Todavia enquanto os tipos mais comuns de câncer de pele estão mais associados à uma exposição contínua ao sol, o melanoma está mais fortemente associado à episódios de queimadura solar. Grande estudo recentemente publicado no American Journal of Epidemiology fornece novos dados a respeito da associação entre melanoma e queimadura solar.

Leia Mais

Os três mandamentos para a prevenção do câncer de estômago

Os três mandamentos para a prevenção do câncer de estômago

O câncer de estômago é o quarto câncer mais comum em homens e o quinto mais comum em mulheres no Brasil. São estimados mais de 20 mil novos casos de câncer de estômago no nosso país para o ano de 2016, e a maior parte deles será diagnosticada em uma fase avançada.

Nos Estados Unidos a história se repete. O Instituto Americano de Pesquisa de Câncer, tradução para American Institute for Cancer Research, AICR, publicou neste mês três passos essenciais para a prevenção do câncer de estômago, e que se fossem adotados por toda a população americana seriam capazes de prevenir cerca de 4000 novos casos.

Leia Mais

Hepatite C e câncer de cabeça e pescoço

Hepatite C e câncer de cabeça e pescoço

A hepatite C é uma doença viral que pode ser transmitida pelo contato íntimo com sangue (como na transfusão de sangue ou compartilhamento de agulhas e lâminas) ou através do sexo sem camisinha com paciente portador do vírus. Há muito tempo já sabemos do aumento do risco de câncer de fígado e linfomas em pacientes com hepatite C, porém uma nova associação foi recentemente descoberta: pacientes com hepatite C também têm risco aumentado de desenvolver câncer de cabeça e pescoço.

Leia Mais

Tratamento completo para gliomas aumentou o tempo de vida

Tratamento completo para gliomas aumentou o tempo de vida

Recentemente falamos sobre os cânceres originados do cérebro, os gliomas (clique aqui).Falamos que os gliomas podem ser divididos em graus de 1 a 4, sendo que quanto maior o grau, mais agressivo é o tumor. Falamos também que o tratamento dos gliomas de baixo grau (grau 1 e 2), é essencialmente cirúrgico e que, em alguns casos, poderia ser necessário acrescentar radioterapia e/ou quimioterapia após a cirurgia. E é sobre o tratamento deles que temos uma novidade: a quimioterapia associada à radioterapia complementares (após a cirurgia) podem aumentar o tempo de vida dos pacientes om gliomas grau 2.

Leia Mais