Prevenção

Câncer de Próstata – Fatores de Risco

Câncer de Próstata – Fatores de Risco

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, 1 a cada 6 homens acima de 45 anos podem desenvolver o Câncer (CA) de Próstata.  O câncer de próstata é considerado o câncer da 3ª idade visto que 3/4 dos casos ocorrem a partir dos 65 anos.

O avanço nas taxas de incidência pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos, melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e aumento na expectativa de vida dos brasileiros.

Dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer) revelam que são esperados o diagnóstico de cerca de 60.180 novos casos de câncer de próstata neste ano de 2012 no Brasil, respondendo por cerca de 30,8% de todos os diagnósticos de câncer (excluindo-se os de pele). A região sudeste deverá ser responsável por cerca de 52% destes diagnósticos (31.400 casos) sendo somente em Minas Gerais 6.820 novos casos em 2012.

Leia Mais

Câncer de intestino grosso: Fatores de Risco

Câncer de intestino grosso: Fatores de Risco

O câncer intestino é uma das doenças neoplásicas malignas mais comuns em todo o mundo. É a quarta neoplasia mais frequentemente diagnosticada em ambos os sexos e a terceira causa mais comum de morte por ano no mundo (aproximadamente 630.000 casos ).

Devido a sua grande incidência e mortalidade, a prevenção dessa doença é de extrema importância. Uma das maneiras mais baratas e eficazes de prevenir o aparecimento dessa doença é evitar a exposição dos indivíduos aos fatores que predispõe o câncer colorretal. Vários estudos tem sido realizados com o objetivo de se encontrar os principais fatores de risco para essa doença.  Dentre eles, destacam-se:

Leia Mais

Alimentação e Câncer

Alimentação e Câncer

O câncer vem se tornando um evidente problema de saúde pública, sendo recentemente estimado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para 2030, uma média de 27 milhões de casos, 17 milhões de mortes pela enfermidade e 75 milhões de pessoas vivas, anualmente, portadoras da doença. Tendo em vista tais números, medidas preventivas devem ser implementadas visando a redução da carga do câncer. 

Leia Mais

Atividade Física e Câncer

Atividade Física e Câncer

A atividade física regular é reconhecidamente benéfica na prevenção e tratamento de várias enfermidades, tais como, hipertensão, diabetes, doenças cardíacas, hipercolesterolemia, depressão e outras.

Essa prática também vem sendo descrita como benéfica na prevenção de alguns tipos de câncer e também para amenizar efeitos colaterais do tratamento. Vários trabalhos já foram publicados e a medicina baseada em evidências vem respondendo algumas das questões abaixo:

Leia Mais

Mamografia no diagnóstico do Câncer de Mama

Mamografia no diagnóstico do Câncer de Mama

Ao longo dos anos, tanto no cenário internacional quanto no Brasil, observamos   uma evolução favorável  no que se refere aos cuidados da  saúde da mulher. Não obstante a esse progresso, a população feminina continua sofrendo com o câncer de mama, que se tornou, além de um problema social e econômico, um problema de saúde pública. É o câncer mais frequente da mulher e o número de casos cresce a cada ano. No Brasil, segundo dados do ministério da saúde, divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer ( INCA ) , em 2012 mais de 12 mil mulheres morrerão da doença. Neste contexto, a  ansiedade que paira no universo feminino, gera uma pergunta constante:  O que eu posso fazer para evitar o câncer de mama? Como preveni-lo?  Deparamo-nos, então, com a palavra Prevenção que perde o significado de “Evitar que algo aconteça” e ganha a conotação: “descobrir a doença  mais cedo possível” . 

Leia Mais

Detecção Precoce do Câncer

Detecção Precoce do Câncer

Para  entender a importância de se detectar precocemente o câncer nada melhor que um dado estatístico: Entre os anos de 1991 e 2004 a taxa de mortalidade por câncer ajustada pela idade caiu 13,6% nos Estados Unidos. Os responsáveis por essa análise concluíram que as principais razões para essa redução foram:

– A melhora no tratamento oncológico.
– E a maior capacidade em se detectar precocemente as doenças malignas.
– A redução do tabagismo entre os homens

Leia Mais

Câncer da Boca: Papel do Dentista

Câncer da Boca: Papel do Dentista

700O carcinoma de células escamosas (CEC) da boca, também denominado carcinoma epidermóide, carcinoma escamocelular e carcinoma espinocelular, é uma neoplasia maligna que se origina no epitélio de revestimento, sendo considerada a neoplasia maligna mais comum desta região.

O câncer da boca é um importante problema de saúde pública no mundo, figurando entre as 10 neoplasias malignas mais prevalentes (para o ano de 2010 a estimativa era de 14120 novos casos no Brasil) e apresentando a maior taxa de mortalidade dentre os cânceres da região de cabeça e pescoço. Dados do Instituto Nacional do Câncer, em 2010, revelam que o câncer de boca foi o 5º mais incidente em homens e o 7º entre as mulheres.

Leia Mais

Seu Trabalho e o Câncer

Seu Trabalho e o Câncer

Toda atividade humana está exposta a fatores ambientais que podem proporcionar riscos de adoecimento e, no caso da atividade laboral, muitos desses agentes podem, de alguma forma, aumentar o risco de surgimento de doenças. Umas das maiores preocupações com a saúde do trabalhador, inclusive com reconhecimento do Ministério do Trabalho, com potencial lesivo reconhecido, é a exposição a substâncias com potencial carcinogênico.

Leia Mais

Mamografia Convencional x Mamografia Digital

O câncer de mama é o tipo de câncer mais frequente entre as mulheres em todo o mundo, respondendo por quase 25% de todas as neoplasias femininas. É também a principal causa de mortalidade por câncer entre as mulheres (WHO, 2007; IARC, 2010). Estima-se que no ano de 2012 serão diagnosticados mundialmente 1,4 milhões de novos casos e que ocorrerão aproximadamente 500.000 mortes em decorrência da doença (WHO, 2012). No Brasil o cenário é semelhante, sendo esperados para 2012 mais de 52.000 novos casos e cerca de 12.000 óbitos pela doença (INCA, 2012).

Felizmente, as taxas de mortalidade por câncer de mama têm diminuído desde 1990. Acredita-se que essas quedas são resultado da detecção precoce e do tratamento mais adequado (WHO, 2012). A detecção precoce pode ser alcançada pelo diagnóstico em mulheres com sintomas iniciais ou por exames de rastreamento periódicos em mulheres assintomáticas, identificando anormalidades sugestivas de neoplasia.

Leia Mais

Rastreamento em Câncer de Pulmão

O câncer de pulmão é o segundo tumor de maior incidência em todo o mundo e o que mais conduz ao óbito. Além disto, as mortes relacionadas aos tumores de pulmão têm aumentado em proporções epidêmicas, refletindo a clara relação desta doença com o tabagismo. A prevenção, mais do que o rastreamento precoce da doença, é a estratégia mais efetiva para reduzir o número de casos e óbitos relacionados aos tumores pulmonares.

Infelizmente, cerca de 75% dos casos de neoplasias pulmonares apresentam-se com sintomas relacionados a doença avançada, seja no pulmão ou com disseminação a distância (metástases), onde a possibilidade de cura é remota ou inexistente. 

Leia Mais