Tratamentos

Radioterapia da Face: Efeitos e Recomendações

Radioterapia da Face: Efeitos e Recomendações

Analisando a ocorrência das complicações pós-radioterapia em tratamentos na região de cabeça e pescoço, verificou-se a necessidade de se instituir um protocolo de atendimento odontológico.

São várias as complicações provenientes da radioterapia da face que influenciam na qualidade de vida do paciente, pois causam dor, limitando a ingestão de alimentos, perda nutricional e piora do quadro clínico,  podendo levar a interrupção temporária da radioterapia.

Leia Mais

Manejo da constipação intestinal

Manejo da constipação intestinal

Define-se constipação intestinal uma frequência de menos de três evacuações por semana ou sensação de evacuação incompleta ou dificuldade de eliminar as fezes.

A presença de constipação é observada em 40 a 90% dos pacientes oncológicos, predominando nos idosos. A constipação é relatada em 95% dos pacientes em uso de opióides. Estas substâncias ligam-se aos receptores µ do intestino, causando retardo do esvaziamento gástrico, redução do peristaltismo e da secreção intestinal. Observam-se outros sintomas frequentemente associados à constipação: náuseas, eructações, anorexia, desconforto e cólica abdominal.

Leia Mais

Câncer: o que são Drogas-Alvo?

Câncer: o que são Drogas-Alvo?

Um dos maiores problemas do tratamento medicamentoso do câncer é que as células cancerígenas são, do ponto de vista genético, 99,9% iguais às células normais do organismo. A quimioterapia em geral age sobre o DNA matando as células em rápida multiplicação. Nesse sentido, é preferencialmente nociva às células cancerígenas, mas também a qualquer tecido normal cujas células apresentem característica de rápida proliferação, por exemplo, a medula óssea, a mucosa do tubo digestivo ou as células do bulbo capilar. Isso explica por que os agentes quimioterápicos podem levar à queda dos componentes do sangue, às mucosites e à queda dos pêlos, por exemplo.

Leia Mais

Técnicas de Radioterapia Externa: Passado, Presente e Futuro

Técnicas de Radioterapia Externa: Passado, Presente e Futuro

PASSADO
Ao contrário do que muitos acreditam, atualmente ao se deparar com máquinas modernas em um hospital, a radioterapia não é uma modalidade recente de tratamento. Ela surgiu por volta de 1900, a partir de 2 descobertas. A descoberta da radiação artificial produzida por Roentgen em 1895 (premio Nobel em 1901) e da radioatividade natural, descoberta pelos trabalhos de Becquerel e do casal Curie, que lhes rendeu o Nobel em 1903.

Os primeiros relatos de uso da radiação em tratamentos médicos datam do princípio do século 20. Equipamento com tubos primitivos de raio X emitiam radiação de baixa energia, que não conseguiam penetrar no corpo até os tecidos profundos. Eram usados para tratar tumores superficiais, com finalidade apenas paliativas.

Leia Mais

Radiocirurgia Estereotáxica

Radiocirurgia Estereotáxica

Técnica especial de Radioterapia trata tumores e outras anormalidades cerebrais com precisão

Na última década a eficácia e o uso da Radioterapia Estereotáxica aumentou dramaticamente devido às melhorias em exames de imagem, no desenvolvimento de softwares especializados e dos equipamentos de tratamento. A Radiocirurgia Estereotáxica é uma técnica precisa de Radioterapia que trata tumores e outras lesões com uma alta dose de radiação em uma única sessão.

Leia Mais

Câncer: Queda de Cabelo e a Quimioterapia

Nenhum outro sintoma é tão associado à quimioterapia quanto a queda de cabelo. Talvez seja o mais preocupante e o que mais cause ansiedade e temor em relação ao tratamento, não só em mulheres, mas também em homens. Alopecia é o seu nome médico!

Porque ocorre queda de cabelo com a quimioterapia? O modo como esses medicamentos atuam no corpo é matando células que se multiplicam rapidamente, como é o caso das células cancerosas, mas também o das células do bulbo capilar (que forma e segura o fio de cabelo) por isso o cabelo é rompido no orifício de saída do couro cabeludo.

Leia Mais