Como o cigarro muda a genética a favor do câncer

Como o cigarro muda a genética a favor do câncer

Fumar aumenta o risco de desenvolver câncer de pulmão, boca, garganta, rim, bexiga e muitos outros. Mesmo assim, no mundo todo contamos mais de um bilhão de fumantes. Conhecer a assinatura genética de cada tumor tem sido um esforço mundial e tem mudado a forma de tratar o câncer. Hoje vamos falar de como o cigarro muda a genética do nosso organismo e facilita o inicio do câncer.

A origem molecular da maioria dos cânceres é desconhecida. Pistas de como desvendar este mistério começaram a surgir há cerca de 20 anos, com a identificação de mutações diferentes numa proteína chamada TP53. Explico: esta proteína é responsável por inibir a proliferação de tumores no nosso corpo. Quando a TP53 está mutada, ou seja, alterada, ela não consegue execer sua função. Mas diferentes tumores têm mutações diferentes na TP53.

Os pesquisadores resolveram analisar 13 tipos diferentes de câncer sabidamente ligados ao cigarro e mais de 5000 códigos genéticos destes tumores. Foram identificadas 30 mutações chamadas assinaturas mutacionais. Cada tipo de tumor pode ter uma ou mais destas assinaturas. O mais interessante é que fumar afeta o tipo de assinatura que o tumor vai ter.

Um exemplo interessante: existe um tipo de câncer de pulmão chamado adenocarcinoma. Fumantes com adenocarcinoma de pulmão se destacaram pela grande frequência da assinatura 4. Esta mesma assinatura estava praticamente ausente nos tumores de não fumantes mas já havia sido registrada em células expostas a um componente do cigarro em experimentos. Isto sugere que a mutação que leva a assinatura 4 é provocada pela exposição a fumaça do cigarro.

Outra observação interessante é que quanto mais abundante a presença da assinatura 4, maior a chance de desenvolver um câncer: homens fumantes com frequência aumentada da assinatura 4 têm uma chance até 100 vezes maior de desenvolver câncer de pulmão.

Ainda temos muito a caminhar para descobrir todo o caminho que faz o cigarro levar ao câncer mas uma conclusão é reforçada por este estudo: a hora de parar de fumar é agora.

Bibliografia:

http://science.sciencemag.org/content/354/6312/549.full

Autora

Dra Maria Helena Cruz Rangel Da Silva
CRM mg 49563 RQE 28713
Médica Oncologista Clínica da clinica Oncocentro Bh

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *