Diagnóstico precoce para Câncer de pulmão: é possível?

Diagnóstico precoce para Câncer de pulmão: é possível?

Sábado, dia 29 de agosto, foi o Dia Nacional de Combate ao Fumo. O cigarro pode causar diversas doenças e vários tipos de câncer, como o de boca, esôfago, bexiga e o de pulmão.

Nosso objetivo hoje é falar sobre o diagnóstico precoce do câncer de pulmão.  Como a maioria das neoplasias, o diagnóstico precoce é a chave para a cura.

Até alguns anos, não tínhamos nenhum método de diagnóstico precoce para o câncer de pulmão. Radiografias e exames de escarro eram imprecisos e não auxiliavam nos casos iniciais.

Em 2011 a história começou a mudar, com a publicação de um estudo realizado pelo Grupo de Pesquisa Nacional de Rastreio para Pulmão (NLST – sigla em inglês). Este estudo comparou a efetividade de se fazer radiografia ou tomografia (TC) de baixa dosagem (de radiação) para o diagnóstico do câncer de pulmão. E o resultado foi animador! As tomografias mostraram um potencial maior de detectar doenças mais precoces com uma redução de 20% no risco de morte por esta doença.

No entanto, a realização do exame de rastreamento não é para todo mundo. A população beneficiada foi a dos pacientes fumantes ou ex fumantes que pararam há menos de 15 anos e que fumaram o equivalente a pelo menos um maço de cigarro por dia durante 30 anos. o Ideal é que pacientes entre 55 e 80 anos, que se enquadrem nos critérios acima, façam uma tomografia anual durante 3 anos.

Lentamente o uso de TC foi ganhando força nos EUA, porém, por que mesmo em países desenvolvidos este procedimento ainda não se tornou o padrão?

Por mais incrível que pareça, a maior barreira era o acesso ao exame. Os planos de saúde e o governo norte americano argumentaram que era economicamente inviável fazer o exame em toda as pessoas que faziam parte do grupo de risco. Desta maneira, o grupo de pesquisa (NLST) publicou um estudo comparativo, com cerca de 12.000 pacientes, onde foi demonstrado que os custos em se fazer a tomografia eram mais baixos que apenas tratar os casos de câncer de pulmão quando descobertos. Com isso, alguns planos de saúde nos EUA começaram a cobrir e estimular a realização da Tomografia.

Se nos Estados Unidos existe dificuldade na implantação do rastreamento do câncer de pulmão, aqui não é diferente. No Brasil ainda engatinhamos. O acesso ao exame é desigual assim como é o acesso à saúde. Por isso é tão importante um dia como 29 de agosto.

E a prevenção está do lado de todos.  Mesmo onde há programa efetivo de rastreio para câncer de pulmão, a adoção de medidas para a prevenção da doença são imprescindíveis. No Brasil, a rede pública de saúde disponibiliza tratamento para auxiliar na cessação do tabagismo, ou seja, o SUS oferece tratamento sem custo adicional para aqueles que não conseguem parar de fumar sozinhos.

 

Bibliografia:

●      Educational Book, Asco 2015. The Value of Lung Cancer CT Screening: It is all about implementation

●      http://promocaodasaude.saude.gov.br/promocaodasaude/assuntos/controle-ao-tabagismo/noticias/sus-disponibiliza-tratamento-especializado-contra-o-tabagismo

 

Autor:

– Dra Maria Helena Rangel

Médica residente do serviço de oncologia Clínica Hospital Felicio Rocho

– Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235

Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho, da clinica Oncocentro BH, da Urológica e do IPSEMG

Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *