Icterícia e o câncer: quando o paciente fica amarelo

Icterícia e o câncer: quando o paciente fica amarelo

A icterícia, aquele amarelo da pele e do branco do olho que também pode ocorrer em recém-nascidos, também pode acontecer em pacientes com câncer. A icterícia ocorre quando o organismo não consegue eliminar um pigmento produzido pelo fígado chamado bilirrubina. Como a icterícia é um dos sintomas do câncer e nem sempre é reconhecida precocemente, vamos hoje focar nesse assunto

As causas da icterícia são dividas de acordo com o ponto da “engrenagem” de eliminação que não está funcionando e temos o fígado como referência:

Causas antes do fígado: em geral o problema é a produção muito elevada de bilirrubina e o fígado no caso sadio não consegue eliminar toda a produção.

Causas no fígado: neste caso o problema é dano de célula do fígado. Presença de câncer no fígado é uma das causas, independente se a origem do câncer é no fígado ou em outro órgão. Os cânceres que mais causam icterícia são o hepatocarcinoma (câncer que começa no fígado), o câncer de pâncreas e o câncer de intestino. Outros motivos são abuso de bebida alcoólica, hepatite e alguns medicamentos, inclusive quimioterapia.

Causas depois do fígado: o problema é no transporte da bilirrubina produzida no fígado para fora do organismo. Como ela fica represada no fígado o excesso cai na corrente sanguínea vai se depositar na pele e no braço do olho.

Outros sintomas associados com a icterícia são urina escura, cor de Coca-Cola, fezes claras podendo ser até esbranquiçadas e coceira pelo corpo. Alguns sintomas como dor abdominal, vômitos ou aumento do abdome podem estar presentes e variam de acordo com a causa da icterícia. Em casos avançados, quando o fígado para de funcionar, podem existir sintomas como confusão e até coma.

O tratamento varia com a causa da icterícia. Falando especificamente das causadas pelo câncer, a quimioterapia pode ser uma opção de tratamento. Se a causa for uma obstrução do trajeto, uma desobstrução cirúrgica é o mais indicado. Neste caso pode ser criado um novo trajeto que drena a bilirrubina para fora do corpo ou respeitar o trajeto do corpo colocando um pequeno tubo de plástico ou de metal que transpassa a obstrução.

Bibliografia:

www.jamanetwork.com

Autores:

Dra Maria Helena Cruz Rangel Da Silva
CRM mg 49563 RQE 28713
Médica Oncologista Clínica

Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235
Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho, da clinica Oncocentro BH e do IPSEMG
Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

Comments (3)

  1. Meu pai foi diagnosticado com câncer nas vias biliares. Teve os sintomas de icterícia, fezes brancas, urina escura, mas sem dor. A barriga nao inchou no primeiro momento. Mas o tecido do fígado esta intacto, sem nódulos.
    Neste caso, o câncer começou antes ou depois do fígado?
    Ele colocou um stent, para drenar para dentro. Perde mto peso, as enzimas hepáticas estão mto elevadas. Li que quimo no caso dele e paliativo. Mas nao existe nenhuma novidade de medicamento no caso de câncer em veias?

  2. Minha mãe tem 85 anos tem duas semana que fez tomografia e diagnosticou câncer na vias biliares avançado. Está icterícia com o abdômen mto inchado dor por enquanto leve mas constante.
    Médico disse que não tem o que fazer que poderia fazer uma cirurgia as ela não iria aguentar não está comendo quase nada e bem seletiva a comida nada de doce.
    Estou sem saber o que fazer teve convução foi para o médico e disse que o sódio estava baixo por isso teve a convução. Tomou soro com sódio e voltamos para casa .
    Queria saber mas sobre o que fazer em algum remédio que ajuda para sódio não abaixar .

  3. Perdi minha esposa em janeiro deste ano onde ela apresentou amarelado nos olhos e pele, e em progressão apresentou inchaço do abdome e confusão mental intensa.
    os médicos até fizeram exame pra saber se com a drenagem do liquido ela teria alguma melhora, porém já era tarde.
    No caso dela a porta de entrada foi câncer na mama do tipo triplo negativo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *