Lesões pré-câncer de intestino (adenomas): como acompanhar?

Lesões pré-câncer de intestino (adenomas): como acompanhar?

O câncer de intestino é o terceiro câncer mais comum em homens e mulheres brasileiros, e é um dos poucos que têm um grande aliado na prevenção: a colonoscopia. A colonoscopia é um exame que atua na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de intestino, pois permite analisar sua parede e pode também remover lesões pré-cancerígenas, os adenomas. A revista New England Journal of Medicine publicou em março de 2016 um artigo muito bacana falando sobre o acompanhamento dos adenomas.

Estima-se que de 20% a 53% da população americana acima de 50 anos tenha adenomas, e até 85% dos casos de câncer de intestino provavelmente evoluiu a partir de um adenoma convencional. O tamanho do adenoma tem relação direta com o risco de câncer: lesões grandes (maiores que 0,9mm) são as que apresentam maior risco. Outro fator importante é o número de adenomas.

De acordo com as características do adenoma é que define-se de quanto em quanto tempo é necessário repetir a colonoscopia:

– Sem lesões ou lesões benignas: repetir a colonoscopia em 10 anos.

– Um ou dois adenomas tubulares com até 9mm: repetir a colonoscopia em 5 a 10 anos.

– Três a dez adenomas tubulares: repetir a colonoscopia em 3 anos.

– Mais de 10 adenomas tubulares: repetir a colonoscopia em menos de 3 anos.

– Mais de um adenoma tubular com mais de 9mm: repetir a colonoscopia em 3 anos.

– Adenoma com displasia de alto grau ou adenoma viloso ou adenoma serrilhado: repetir a colonoscopia em 3 anos.

A diferenciação dos adenomas entre tubular, viloso ou serrilhado é feita no microscópio.

É muito importante também lembrar que a colonoscopia só se torna um exame confiável se o preparo para o exame for bem realizado, de forma que a parede intestinal possa ser examinada como um todo. Caso haja conteúdo dentro do intestino no momento da colonoscopia, ela deve ser repetida em um prazo menor que o citado acima.

A colonoscopia está indicada para homens e mulheres sem sintomas (e sem casos de câncer de intestino na família) a partir dos 50 anos, mas pode ser indicado por médicos em qualquer idade, caso haja sintoma de alarme. Em casos de história familiar positiva para câncer de intestino, o ideal é consultar um proctologista ou oncologista para saber qual é a idade ideal para se começar a fazer a colonoscopia.

Outros exames, como a colonoscopia virtual ou a sigmoidoscopia flexível, podem ser uma alternativa para aqueles pacientes com contraindicação a colonoscopia convencional.

Bibliografia: http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMra1513581

 

Autores:

Dra Maria Helena Cruz Rangel Da Silva
CRM mg 49563 RQE 28713
Médica residente do serviço de oncologia Clínica Hospital Felicio Rocho

Dr. Volney Soares Lima
CRM MG 33029 / RQE 15235
Médico Oncologista Clínico do Hospital Felicio Rocho, da clinica Oncocentro BH e do IPSEMG
Membro Titular Sociedade Brasileira Oncologia Clinica

 

Comments (10)

  1. Maria Lígia da Costa Almeida - Responder

    Carta aberta para o Dr. Volney:

    De repente, um tal de adenocarcinoma invadiu a minha estabilidade corporal. quimioterapia, radioterapia e quetais rodopiaram ao meu redor.
    Senti-me nublada. Céu plúmbeo na alma. Desequilibrada mesmo.
    Fingindo fortaleza para acalmar minha família, dizia: tudo passa. Tudo passará.
    Então, o dr. Volney entrou na minha história.
    Entrei no consultório dele receosa. O desconhecido assusta a gente. Coração descompassado. Medo. Puro medo. Pequenininha.
    E lá estava ele. Jovem. Encantador. Tranquilo. Voz suave. Firme na sua competência.
    Prosa boa.
    Entre suas palavras de esclarecimento sobre o tal câncer que me assolava, vislumbrei a esperança de cura.
    “Curável e tratável”, disse-me ele. Serenidade de quem sabe o que diz.
    Senti-me confortável. Amparada. Dissipado pela certeza de que estava em ótimas mãos, o medo desapareceu. Agigantei-me por dentro. E, com a bênção de Deus e a assistência do dr. Volney, voltei a ser eu mesma. Aos 70 anos de idade, uma vencedora.
    Por tudo isto, cá estou deixando o Instituto de Oncologia do Hospital Felício Rocho.
    Aqui deixo o meu coração agradecido ao dr. Volney, aos enfermeiros, à turma da recepção.
    Ass: Maria Lígia da Costa Almeida

    • Elaine aparecida da rosa - Responder

      Sobre esse adenoma tubular sempre retiro de 3 em 3 anos. Mas, nao me trato com proctologista ou oncologista, tudo diretamente com médica clinica geral, sem necessidade de especialista disse a médica. Cuido-me pois a medica disse que o meu dna esta a propensao para o CA, tendo em vista, minha mae ter falecido de adenocarcinoma. E tenho esse risco. E retirei 5 adenomas de grau medio e me explicou que eram lesoes precancerígenas.

      • Olá Elaine, sou Dilma Costa , fui diagnosticada com adenoma tubular viloso de grau médio , retirei dois polipos intestinais,um estava com cerca de 20 mm muito grande, mas fiquei super assustada, e emocionalmente muito abalada com a notícia, sabendo que um tio foi diagnosticado com câncer de intestino ha três anos, ele tem mais de 60 anos, eu tenho 38, isso me desequilibrou muito, pois tenho 2 filhos o mais velho tem 4 anos, o mais novo tem fez 2 aninhos….agora vivo acompanhada do medo do futuro, gostaria como você reagiu quando recebeu esse diagnóstico pela primeira vez ? Obrigada.

  2. Maria Lígia da Costa Almeida - Responder

    Pois é, dr. Volney…

    Cá estou em minha casa há cerca de 20 dias cumprindo etapas na busca de sobrevida. Durante seis semanas fiz tratamento – rádio e químioterapia .
    Farei uma RM semana que vem, a pedido do dr. Paulo Rocha.
    Com o laudo em mãos, retornarei a ele para definição dos próximos passos.
    Sinto ainda muitas dores e muitos incômodos devido ao inchaço de hemorróidas.
    Pergunto ao dr. Volney: como aliviar esses tais incômodos? Uso hipoglós a cada ida ao banheiro. Aplico proctil. Há outras formas? Pensei em antinflamatórios. Pode ser?
    Gostaria de uma orientação. Moro no interior (Oliveira MG). Daí a minha “ousadia” em solicitar sua ajuda.
    Obrigada. Um abraço.

  3. Bom dia. Estamos em pânico… Meu pai muito saudável fez colonoscopia ontem , mas o exame não pode ser completado devido a um tumor , onde não foi possível passar a Mangueirinha maus além. Estamos muito desesperados biópsia sairasomente daqui sete dias. Gostaria de saber se há cura pra esse tipo de câncer… Sei q a biópsia ainda nem saiu nas médica q fez já nos alertou q provavelmente é um câncer sim… Espero as alguma palavra q possa me ajudar a correr contra o tempo, ele tem 65 anos, .????

    • Leticia os tumores de intestino tem chance de cura sim.
      Te sugiro marcar com um proctologista e com um oncologista para ir adiantando os pedidos de exame de avaliação da extensão do tumor ( estadiamento) e também os exames pré operatórios necessários.
      Mantenha a calma e procure bons profissionais, tudo vai dar certo. Pense positivo.

  4. Maria Lígia da Costa Almeida - Responder

    Dr. Volney: continuo em suas mãos transformadoras do mal em bem. Numa reicidiva sem educação, o tal adenocarcinoma voltou. E no mesmo local.
    Estarei com o senhor na próxima quinta-feira, 11 de maio.
    É que estou me preparando para a cirurgia, Agora, não escaparei dela.
    Mas, estou bem.
    Certeza tenho de que sairei de seu consultório mais esperançosa ainda. E vamos à luta!! Um abraço.

  5. Boa tarde. Acabei de peggr o resjlltado de uma
    imunoistoquimica. E o reaultado foi um adenoma . Li a respeito que geralmente se da um pacientes acima den50 anps. Tenhoxapenas 44 anos. A lesaao tinha 15cm. Devo fazer algum aacompanhamento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *