Ginecológicos

Tumores ginecológicos: principais novidades

Tumores ginecológicos: principais novidades

Hoje falaremos um pouco sobre as principais novidades apresentadas no congresso da sociedade americana de oncologia clínica (ASCO) sobre tumores ginecológicos. Em Chicago, no inicio de junho/2017, foram apresentados estudos interessantes referentes a tumores de ovário, endométrio e colo uterino. Alguns desses estudos tem impacto direto na condução dos casos clínicos. Outros trazem esperança de melhores tratamentos em um futuro breve.

Leia Mais

Olaparib: Nova droga aprovada para câncer de ovário

Olaparib: Nova droga aprovada para câncer de ovário

Recentemente foi aprovado pela ANVISA no Brasil, o uso de Olaparib, nova medicação para tratamento de câncer de ovário em mulheres com doença avançada que apresentam mutação no gene BRCA. E também novos dados serão publicados sobre essa mesma droga, mostrando benefícios no câncer de mama avançado já submetido a vários tratamentos e também com mutação no BRCA.

Leia Mais

Câncer de endométrio: novo teste diagnóstico

Câncer de endométrio: novo teste diagnóstico

O endométrio é a membrana mucosa que reveste a parede uterina. O câncer de endométrio é o câncer ginecológico mais comum, mas infelizmente não há nenhum método de rastreamento eficaz, como temos a mamografia no câncer de mama, por exemplo. Uma das poucas manifestações da doença, é sangramento uterino em mulheres que já estão na menopausa. Entretanto, apenas 5% a 10% de mulheres na menopausa que apresentam sangramento terão o câncer como causa.

Leia Mais

Niraparib: novo tratamento para câncer de ovário

Niraparib: novo tratamento para câncer de ovário

O câncer de ovário surge quando as células normais do ovário, tornam-se anormais e passam a crescer descontroladamente. É o segundo câncer mais comum do trato ginecológico, e é o que mais leva a óbitos dentre eles. O subtipo mais comum é o epitelial, que corresponde a mais de 90% dos casos.

Os fatores de risco mais bem estabelecidos são: raça branca; primeira menstruação precoce ou menopausa tardia; nunca ter engravidado; história familiar de câncer de ovário, mama, endométrio, principalmente naquelas com mutação nos genes BRCA1 e BRCA2.

Dados recentes publicados em uma importante revista médica mostram a atividade de uma nova droga nessa doença que assombra milhares de mulheres mundo afora.

Leia Mais

Câncer de ovário e resistência ao tratamento: novos horizontes

Câncer de ovário e resistência ao tratamento: novos horizontes

O câncer de ovário é o câncer ginecológico que mais mata, muito pelo diagnóstico tardio na maior parte dos casos. O tratamento padrão do câncer de ovário é cirurgia seguida de quimioterapia que tem como as platinas (medicamentes quimioterapicos) como peça chave. Para as pacientes que não respondem de maneira sustentada a este tratamento, pouco temos a oferecer. Mas um grande passo foi dado neste sentido.

Leia Mais

Retorno ao trabalho após câncer ginecológico

Retorno ao trabalho após câncer ginecológico

Os cânceres do aparelho reprodutor feminino estão entre os mais comuns na mulher em idade reprodutiva. No Brasil, o câncer de colo uterino é o mais comum entre as mulheres na região nordeste. O cuidado com o sobrevivente ao câncer deve ser uma prioridade, especialmente quando falamos de sobreviventes jovens. O retorno ao trabalho e a retomada da vida pré câncer são primordiais para a qualidade de vida do paciente.

Leia Mais

Câncer de útero na mulher idosa

Câncer de útero na mulher idosa

O câncer de endométrio, nome da camada interna do útero, é muito menos comum no Brasil que em países desenvolvidos, mas ocupa a sexta posição nos tumores mais comuns na mulher brasileira. A maior parte das pacientes tem diagnóstico na terceira idade, com média de idade ao diagnóstico aos 62 anos e aumento no número de casos em pacientes acima de 80 anos esperado para as próximas décadas. E é exatamente nas pacientes mais velhas que o risco de morte por câncer de útero é maior.

Leia Mais

Sobreviventes de tumores ginecológicos: efeitos tardios da radioterapia

Sobreviventes de tumores ginecológicos: efeitos tardios da radioterapia

Os cânceres do aparelho reprodutor feminino são tumores muito comuns. No nosso país o câncer de colo uterino, por exemplo, ocupa o terceiro lugar no ranking dos cânceres em mulheres. A radioterapia é parte fundamental no tratamento de vários tumores do aparelho reprodutor feminino, destacando se os tumores de útero (endométrio) e o de colo uterino. Hoje vamos falar sobre os sintomas tardios da radioterapia em pacientes que venceram os tumores ginecológicos..

Leia Mais

Talco e o câncer de ovário: existe mesmo esta ligação?

Talco e o câncer de ovário: existe mesmo esta ligação?

Na última semana a sentença de um juiz americano movimentou as manchetes e redes sociais quando ele condenou uma grande empresa de cosméticos a pagar uma indenização milionária aos familiares de uma paciente morta com câncer de ovário alegando que o uso do talco fabricado pela empresa seria a causa do câncer da paciente. Mas será que a ciência concorda com o juiz?

Leia Mais